TV por assinatura registra queda de 105,42 mil assinantes em todo o Brasil

Publicado em

O mercado de TV por assinatura sentiu o peso da crise econômica no Brasil e registrou queda de 105,42 mil assinantes em todo o Brasil, entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017. Os números são da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

No período, somente dois grupos econômicos apresentaram crescimento na base de assinantes. Todos os outros registraram queda. Entre dezembro de 2016 e janeiro de 2017, os grupos que trabalham com fibra ótica foram os únicos que registraram crescimento de 0,22%. Em 12 meses, a tecnologia teve alta de 27,35%, com 47,59 mil novos assinantes.

Também entre dezembro e janeiro, o Ceará liderou a redução percentual nos números de usuários de TV por assinatura, com 1,73% de assinantes a menos, seguido pelo Amazonas (-1,62%) e Amapá (-1,54%).

Piauí e Maranhão registraram alta, de 0,19% e 0,06% respectivamente.

Em 12 meses, TV por assinatura perdeu 364,45 mil usuários

Em 12 meses, a base de assinantes em todo o país caiu de 19,05 milhões para 18,69 milhões, 364,45 mil assinantes a menos, diminuição correspondente a 1,91%.

No período, Pernambuco liderou a redução percentual de assinantes em todo o país, com 8,02% de usuários a menos, seguido de Rondônia (-7,98%) e Amapá (-7,58%).

Lideram o crescimento da TV por assinatura em todo o país Piauí, com 7,47%; Sergipe, com 4,26%; e Maranhão, com 4,08% de novos assinantes.

Em 20 dias, chuva em São Luís ultrapassa média para janeiro

Publicado em

Nos primeiros 20 dias de 2017, a chuva em São Luís ultrapassou a média histórica para o mês de janeiro. No período, foi registrado quase 300 mm de precipitação na cidade, contra 250 mm da média histórica para o início da estação chuvosa, segundo registros do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

O dia 19 (quinta-feira) foi o de maior volume de chuva em São Luís. De acordo com os dados registrados pela estação do Inmet, somente nesse dia a Região Metropolitana alcançou 130,6 mm em volume de precipitação – segunda cidade com maior volume de chuva no dia, atrás somente de Bauru (SP), que registrou 135,4 mm.

Maiores volumes de chuva registrados no dia 19, em todo o Maranhão:

A forte chuva que atingiu a cidade na madrugada de quarta (18) para quinta-feira (19) causou prejuízos em diversos pontos, derrubando árvores e até muros de residências.

No período, a capital maranhense registrou, ainda, a menor temperatura do mês: 22,4 °C.

Acompanhe, abaixo, a precipitação acumulada em janeiro e o comparativo entre precipitação do mês e média histórica, segundo o Inmet:

Precipitação acumulada em janeiro (Gráfico: Inmet)
Precipitação acumulada em janeiro (Gráfico: Inmet)
Comparativo entre precipitação do mês e média histórica (Gráfico: Inmet)
Comparativo entre precipitação do mês e média histórica (Gráfico: Inmet)

Previsão de chuvas para o primeiro trimestre no Maranhão e região

Para os meses de janeiro, fevereiro e março de 2017, o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC), ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) prevê por consenso chuvas abaixo da faixa normal climatológica no norte da região Nordeste do país. Em grande parte do Maranhão, a precipitação deve se manter na média histórica.

Para a variação de temperatura na região, a previsão é de que ela se mantenha a normal para acima da faixa normal climatológica.

No trimestre, as chuvas são frequentes em praticamente todo o país. No Nordeste, elas são influenciadas pela atuação da Zona de Convergência Intertropical (Zcit).