Ciclo de Estudos em Comunicação oferece atualização para jornalistas

Publicado em

O Laboratório de Convergência de Mídias (Labcom) da Universidade Federal do Maranhão (UFMA) e o Grupo de Pesquisa Tecnologia e Narrativas Digitais (TECND) realizam, na segunda quinzena de novembro de 2016, o Ciclo de Estudos em Comunicação Digital e Inovação no Jornalismo. Destinado a profissionais, estudantes avançados e pesquisadores, o curso, dividido em três módulos, oferece vários tópicos sobre as transformações que o ambiente digital vem gerando no ecossistema dos meios de comunicação, em especial nas redações jornalísticas, sendo uma oportunidade de atualização profissional.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas pela internet. O investimento é de R$ 160 se a inscrição for feita até 31 de outubro; a partir desta data, a taxa passa a ser de R$ 200.

Professor Márcio Carneiro dos Santos ministra módulo do Ciclo de Estudos em Comunicação
Professor Márcio Carneiro dos Santos

No módulo 1 do Ciclo de Estudos em Comunicação, ‘Processos, Práticas e Ferramentas do Webjornalismo’, com previsão de início para o dia 19 de novembro no Centro de Ciências Sociais (CCSo) da UFMA, serão apresentadas várias ferramentas do Google para otimizar a produção de notícias como Alertas, Trends, Data Explorer, Maps e outras; além de técnicas para a inclusão de novas formas narrativas no conteúdo produzido para a internet tais como mapas, gráficos, timelines, infografia e visualização da dados de forma geral.

LEIA TUDO JÁ PUBLICADO SOBRE COMUNICAÇÃO

O módulo 1 será ministrado pelo coordenador do Labcom, professor Márcio Carneiro dos Santos, doutor em tecnologias da inteligência e design digital pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Segundo o professor-doutor – que recentemente lançou o livro ‘Comunicação Digital e Jornalismo de Inserção: Como big data, inteligência artificial, realidade aumentada e internet das coisas estão mudando a produção de conteúdo informativo’ (saiba mais) –, o curso vai destacar a lógica da busca num ambiente de excesso de informação como a internet, tanto na etapa de coleta de dados como no esforço para ser encontrado e estabelecer conexões com a audiência; bem como, novas formas narrativas possíveis para agregar valor ao conteúdo produzido e ainda ferramentas para potencializar fatores como tempo, personalização e nível de engajamento dos usuários.

Produção de vídeos jornalísticos para internet

Publicado em

Na última quarta-feira (26), ministrei, a convite da coordenadora do curso de Comunicação Social da Universidade Ceuma (Uniceuma), Selma Cavaignac, um workshop sobre produção de vídeos jornalísticos para internet, dentro da programação da Semana de Comunicação da instituição de ensino superior.

Como combinado com os acadêmicos do segundo e terceiro período da habilitação Jornalismo, disponibilizo o material apresentado sobre o assunto. Para quem deseja se aprofundar no assunto, recomendo o MOOC – curso on-line gratuito – criado pelo Journalism Courses.

Faça o download da apresentação em PDF

Antes de pensar na produção de vídeos jornalísticos para internet, é necessário ter em mente que o vídeo é uma poderosa ferramenta de comunicação, por usar uma linguagem despojada e ainda mais objetiva que o texto jornalístico, mas deve ser tratado como complemento; já que a página deve conter elementos para que seja encontrada pelos mecanismos de buscas, por isso a necessidade do texto.

Essa forma de linguagem, atualmente, é bastante explorada pelos ‘youtubers’, que nada mais são que produtores de conteúdo para a web.

Dentro formatos jornalísticos de vídeo, podemos elencar vários, mas os mais comuns são os de hard news (conhecido como o jornalismo do dia a dia, do factual); documentário (traz um aprofundamento de um tema específico); análise/opinativo/editorial (traz a opinião de um articulista ou de um determinado veículo de comunicação); e entrevistas.

Roteiro: é necessário pensar o conteúdo

Antes de começar a gravar, é necessário pensar o conteúdo que vai ser explorado no vídeo: no jornalismo, esse pequeno roteiro é a pauta; na publicidade e cinema, o roteiro traz marcações que vão além do texto principal. Para auxiliar o ‘apresentador’, pode-se elencar tópicos a serem desenvolvidos durante o vídeo ou fazer uso de um teleprompter.

No roteiro, deve-se elencar elementos que serão utilizados além do próprio vídeo, como por exemplo o uso de cartelas, gráficos, artes, fotografias, músicas, etc.

No vídeo, em geral, a linguagem é coloquial. No jornalismo, ela pode ser despojada, mas não tanto que aproxime a informalidade desejada do amadorismo, afinal o objetivo é aproximar o espectador do conteúdo.

Produção de vídeos jornalísticos para internet
Iluminação do seu cenário é um dos pontos a ser planejado antes da gravação

Equipamentos necessários

Para fazer seu vídeo, são necessários alguns equipamentos para gravação, edição e publicação do conteúdo. Entre eles, podemos elencar:

  • Câmera(s): vídeo; DSLR; celular; webcam; etc.;
  • Lentes: para vlogs, por exemplo, em que o destaque é o apresentador, a recomendação é para o uso de uma lente ultra grande angular;
  • Microfone: lapela; direcional; ou uso de gravador externo (necessária sincronização);
  • Iluminação: luz solar; rebatedor; LED (iluminação artificial);
  • Programas de edição: Adobe Premiere; Sony Vegas; Pinacle Studio; Corel VideoStudio; Movie Maker; iMovie (MAC); etc.;
  • Publicação: gerenciadores próprios (Encoding Factory, Sambatech, etc.); YouTube; Vimeo; outros.
Produção de vídeos jornalísticos para internet
Diversos softwares podem ajudar na edição do material gravado

Sobre o áudio, câmeras com entrada para microfone podem tornar mais prático o processo de gravação do vídeo, já que não é necessário sincronizar áudio e vídeo − ele já é sincronizado na própria gravação. Se a câmera não possuir entrada, é possível captar o áudio por meio de um gravador externo e sincronizar áudio e vídeo no programa de edição. Mas, para isso, é necessário alguns cuidados, como o uso de claquete.

Professor Imprensa recebe indicações para segunda edição

Publicado em

Termina nesta segunda-feira (24) o período de indicações de professores dos cursos de comunicação social, jornalismo, publicidade, marketing, relações públicas e rádio e TV para a segunda edição do prêmio Professor Imprensa, promovido pelo portal Imprensa. As indicações podem ser feitas pela internet.

LEIA TUDO JÁ PUBLICADO SOBRE COMUNICAÇÃO

O projeto encoraja acadêmicos desses cursos a ‘apontarem professores cujos métodos de ensino tenham sido eficazes durante a graduação em comunicação e que tenham transmitido o conteúdo programático adequadamente’. Os estudantes aptos a indicar devem estudar ou ter estudado na graduação ou pós-graduação (lato sensu ou stricto sensu) em comunicação.

A votação popular se estende até novembro de 2016. Os vencedores serão divulgados na segunda quinzena de novembro de 2016, no portal Imprensa.

Além do reconhecimento por meio de certificados e de um especial editorial, o projeto reconhece também o empenho dos alunos e ex-alunos que se dispuserem a participar indicando seus professores.

‘Imprensa’ valoriza professores de Comunicação

Publicado em

Você, jornalista, lembra daquele professor que marcou sua graduação? Um projeto do Portal Imprensa quer reconhecer e valorizar professores da área de Comunicação Social de todo o Brasil. Para participar, jornalistas graduados ou pós-graduados e acadêmicos (dos cursos de Comunicação Social, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Marketing, Relações Públicas e Rádio e TV) podem indicar um professor marcante por meio da página eletrônica do projeto ‘Professor Imprensa’.

É uma forma bacana de retribuir tantas horas de dedicação à formação de futuros jornalistas. Após preencher o formulário, basta validar a indicação por e-mail (a dica é, se possível, reunir os dados antes de preencher o formulário, como nome, e-mail e telefone do professor, embora só o nome seja obrigatório). Mas é preciso correr para participar, porque as indicações vão até 31 de agosto de 2015.

De quebra, quem participa e confirma a indicação ganha acesso gratuito durante três meses ao acervo Imprensa e concorre a uma assinatura anual (impressa e digital) da Revista Imprensa ou acesso a uma oficina.

As indicações formarão dois grupos, o primeiro com os cinco professores mais indicados por alunos em cada região do país (25 no total) e o segundo formado pelos professores que liderarem as indicações em cada região (cinco no total). Ambos os grupos serão anunciados no fim de setembro e, além de certificado digital, serão destaque em reportagem especial na edição de Imprensa de outubro – mês do professor.

7º Prêmio Sebrae de Jornalismo

Publicado em

Quem me acompanha no MauricioAraya.com.br e nas redes sociais sabe que estive, nesta semana, em Brasília para participar da cerimônia nacional do 7º Prêmio Sebrae de Jornalismo (PSJ). Na etapa maranhense, venci na categoria Webjornalismo com a reportagem

Franquias apostam em novos públicos e segmentos, para o portal Imirante.com; assim como os jornalistas Ribamar Cunha (O Estado do Maranhão, Impresso) e Sebastião Borges Jr. (Universidade FM, Rádio).

image

Para mostrar os bastidores da premiação, produzi um vídeo mostrando um pouco da festa que reuniu jornalistas de todo o Brasil na sede nacional do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), na Asa Sul. 

A cerimônia foi apresentada pelo jornalista Chico Pinheiro, âncora do Bom Dia Brasil.

O grande prêmio foi para a equipe da TV Globo do Rio de Janeiro, com a série Tive uma ideia, destaque no programa Fantástico. Ao todo, foram 1,3 mil trabalhos inscritos em todo o país. O PSJ reconhece as melhores reportagens e imagens nas categorias Impresso, Rádio, TV, Webjornalismo e Imagem Jornalística.