Você sabe quais as diferenças entre febre chikungunya e dengue?

Publicado em

Você sabe o que é a febre chikungunya? Facilmente confundida com a dengue por ter sintomas muito parecidos, a doença é causada por um arbovírus e teve seu primeiro registro em 1952 na África. Desde então, tem se proliferado por países da América Latina.

Transmissão da febre chikungunya e dengue ocorre pela picada dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus
Transmissão da febre chikungunya e dengue ocorre pela picada dos mosquitos Aedes aegypti e Aedes albopictus

Agora, você sabe quais as diferenças entre febre chikungunya e dengue? Para orientar a população e esclarecer as principais dúvidas sobre o assunto, a infectologista do Hospital e Maternidade São Cristóvão, doutora Andreia Maruzo Perejão, explica a transmissão das duas doenças ocorrida pela picada dos mosquitos Aedes aegypti ou Aedes albopictus.

Segundo a profissional entre 72% a 95% das pessoas infectadas apresentam febre alta repentina.

Além desse sintoma clássico, o paciente com chikungunya também apresenta cefaleia, mialgia, manchas pelo corpo (exantema), conjuntivite, náuseas e vômitos e dores articulares debilitantes (poliartrite), sendo esse último sintoma o que mais a diferencia da dengue

Seu nome vem da língua Kinchonde e significa ‘homem que anda arqueado’ devido às fortes dores articulares.

Essa artrite ocorre mais em mãos e pés e pode persistir por meses ou anos, mas, raramente, há complicações ou mortes

A médica explica que o diagnóstico se dá pela suspeita clinica e exames de sangue, como sorologias, cultura viral ou RT PCR. A infectologia adverte que o tratamento é sintomático, pois não há medicação especifica para o vírus, ou seja, tratam-se apenas os sintomas.

A orientação ao paciente é de repouso, hidratação e alimentar-se bem para que a imunidade melhore durante o ciclo do vírus. Para a prevenção da Chikungunya, deve- se manter os mesmos cuidados que se tem com a dengue.

É extremamente importante eliminar qualquer objeto que acumule água, principalmente da chuva, pois podem ser criadouros do mosquito. Durante as epidemias, também oriento o uso de repelentes

O período de incubação do vírus leva de 2 a 10 dias. Na dengue, o risco de evoluir para um quadro hemorrágico é maior, segundo explica a infectologista.

Citronela é repelente natural contra insetos e mosquitos

Publicado em

Neste período, de muita chuva na cidade onde eu moro – São Luís (MA) –, os mosquitos aparecem de forma avassaladora. Basta uma chuvinha, lá vem eles. E em um momento como este, em que nos preocupamos com a proliferação de doenças transmitidas pelos mosquitos – em especial o Aedes aegypti – como dengue, chikungunya, zika e até a febre amarela, vale tudo para tentar se proteger. Estou me cuidando como posso: uso repelente corporal quando vou para a rua, repelente elétrico em casa, e por aí vai. Mas testei uma dica de repelente natural que gostaria de compartilhar com vocês: a citronela.

De antemão, queria avisar que, para essa dica, a experiência foi puramente empírica – ou seja, não me baseio em dados científicos.

Essência de citronela é aliada contra insetos e mosquitos
Essência de citronela é aliada
contra insetos e mosquitos

Basicamente, minhas dicas são sobre o uso da essência de citronela, que no mercado costuma variar de preço, entre R$ 10 e R$ 25. O uso dessas essências, em geral, é para aromatizar os ambientes; mas vou ensinar três formas que vocês podem usar a essência como aliada nessa tarefa.

Dica 1 – na limpeza da casa: após varrer ou aspirar o pó dos ambientes, passe um pano de chão ou esfregão umedecido com a mistura de água e algumas gotas da essência de citronela (e nesse caso, eu recomendo, que sejam poucas gotas mesmo, porque o aroma da citronela já é bem carregado). Essa, sem dúvida, foi a mais eficiente forma de usar a essência de citronela como repelente aqui em casa. Mesmo depois de um dia inteiro de chuva, nenhum mosquito apareceu em casa.

Dica 2 – na corrente de ar: use o corredor de ventilação da sua casa ao seu favor. Para isso, vale a mesma recomendação usada para repelentes elétricos ou de outros tipos. Com um borrifador, espalho a mesma mistura de água e algumas gotas da essência de citronela nas cortinas. Uso, ainda, um pouco dessa mistura na roupa de cama, para ajudar a deixar o mosquito bem longe enquanto estou dormindo.

Dica 3 – no difusor de aromas: reutilizei o recipiente de um difusor de aromas para, também, auxiliar nessa tarefa, usando a mesma misturinha que já falei – água e essência de citronela. Para as varetas, você pode usar aqueles espetos de madeira encontrados facilmente no supermercado.

Citronela não basta; é preciso entrar na guerra contra o mosquito

Todas as dicas – ainda mais as naturais – são válidas, mas é necessário ter atenção e não vacilar com o mosquito da dengue.

É preciso eliminar locais que facilitam o acumulo d’água, inspecionando bem sua casa ou apartamento, e algumas dicas de como fazer isso vocês encontram na página eletrônica do Ministério da Saúde na internet.

E você, tem alguma dica para compartilhar com a gente? Use os comentários. Quero muito testar outras técnicas para evitar esses mosquitinhos chatos.